Sabemos que uma máquina automática é um grande investimento para uma marcenaria e, normalmente, os gerentes de produção ou donos da empresa não querem ver a máquina sem trabalho nem por um minuto, afinal, foi investido uma grande quantia de dinheiro e se espera uma alta produtividade e ótimos resultados com o seu uso.

Sabe-se também que a capacidade de produção de uma máquina automática é alta e, para manter a máquina trabalhando 8 horas por dia, é necessário um alto volume de pedidos, contudo, isso nem sempre é possível. Um erro muito grave e recorrente em muitas marcenarias é pensar que a máquina deve trabalhar todo o período do dia mesmo com produção baixa. Preste atenção nesta frase:


Uma máquina que trabalha com alta produção por poucas horas e acaba ficando parada no restante do dia, gera um custo menor, do que uma máquina que trabalha com baixa produção durante todo o dia. Ainda poderia se acrescentar, que é melhor uma máquina trabalhar com carga máxima durante um ou dois dias da semana, do que trabalhar com baixa carga de trabalho durante todos os dias da semana.


Isso quer dizer que, a relação de custo benefício da utilização da máquina está diretamente relacionado ao tempo em que ela está operante. Sempre deve-se tirar ao máximo de sua capacidade e trabalhar com a máquina o menor período de tempo possível (caso sua produção não demande o uso das 8 horas diárias), assim evita-se a subutilização. Num exemplo prático, se você precisa cortar 20 chapas no dia e sua máquina tem capacidade de cortar 5 chapas por hora, deve-se fazer o corte com velocidade máxima e trabalhar durante 4 horas, ao invés de distribuir o corte das chapas ao longo do dia e trabalhar com apenas metade da velocidade da seccionadora, cortando apenas 2,5 chapas por hora.

Com a utilização desta prática a marcenaria irá ganhar em vários pontos:

1 – Redução do consumo de energia elétrica: a máquina fica ligada por um período menor e economiza-se também com a redução do consumo de energia dos exautores e iluminação do ambiente;

2 – Utilização de operadores em outras funções durante o dia: é possível alocar a mão de obra para exercer outras funções dentro da linha de produção;

3 – Redução do custo de manutenção: como o tempo trabalhado é menor, a necessidade de manutenções preventivas por horas trabalhadas será menor. Alguns itens de manutenção preventiva são medidos por horas trabalhadas.

Existem também outras práticas importantes que podem ser levadas em conta para aumentar a eficiência do maquinário:

Plano de Manutenção Preventiva: É imprescindível que seja adotado um plano de manutenção preventiva para cada máquina dentro da empresa. Qualquer máquina ou aparelho pode apresentar problemas por desgastes ou falta de manutenção. Para evitar surpresas, deve-se criar um plano de controle para reparos, afiações de serras e fresas, troca de peças ou componentes, lubrificações, inspeções e limpeza. Cada um desses itens devem ser verificados em momentos diferentes, alguns semanalmente, outros mensalmente e assim por diante. Por isso, é interessante criar uma planilha de controle anotando todos os itens a serem verificados e quando deverão ser verificados. Em uma pequena marcenaria, que não possui um responsável por manutenção, é interessante deixar o operador da máquina como responsável por controlar a planilha de manutenção preventiva. Esta ação possibilitará um número menor de paradas da máquina sem programação.

Operadores treinados: O operador deve ser sempre treinado e capacitado para conhecer todas as operações que podem ser executadas na máquina, utilizando toda a capacidade produtiva da máquina. Ele também é o responsável por acompanhar o Plano de Manutenção Preventiva e garantir que a máquina não pare de trabalhar por problemas que poderiam ter sido evitados.

Correta programação de produção: Em uma empresa que busca elevar ao máximo a sua capacidade produtiva, é imprescindível que o planejamento da produção esteja em sintonia com o setor de compras. O setor de PCP deve programar a produção com antecedência e então encaminhar ao setor de compras as quantidades de matéria prima necessária para execução da produção do dia, mas sempre programando com 2 ou 3 dias de antecedência.

O melhor aproveitamento dos equipamentos na marcenaria é obtido a partir da programação da produção, da correta operação por profissionais treinados e uma manutenção periódica preventiva. Ações que são fáceis de implantar e geram bons resultados, principalmente para marcenarias que estão em crescimento e ainda não possuem um volume continuo de produção.

7 erros frequentes ao definir o layout de uma marcenaria

O correto posicionamento de máquinas e equipamentos dentro da marcenaria é um dos mais importantes fatores para o aumento da eficiência na produção. Por isso é importante planejar o layout da marcenaria considerando o processo produtivo dentro de uma lógica. Daí vem o...

ler mais