Alguma vez você se perguntou como lidar com as pessoas que trabalham na sua marcenaria, principalmente quando os negócios precisam melhorar e a preocupação bate insistentemente na sua porta, justo na hora que precisaria desligar de tudo para dormir e descansar? Já sentiu a solidão em ter que resolver os mais diversos problemas com a sensação de não poder contar com ninguém, a não ser com você mesmo? Vamos refletir sobre isso, porque talvez você esteja centralizando as decisões que devam ser delegadas com clareza para liderar, sem comprometer o seu bem estar e o resultado do negócio. E para isso, um alinhamento de expectativas precisa ser realizado com objetividade e clareza.

“..fica claro quando a discrepância do que é exigido pelo cargo não exige um desenvolvimento radical e sim um aprimoramento do ocupante do cargo..”

A primeira pergunta que um líder precisa fazer é se as pessoas certas estão nos lugares certos. Sem responder afirmativamente esta questão, não há alinhamento que resolva o que precisa ser resolvido, porque é a base de tudo. Parece óbvio, mas é justamente por ser óbvio que todo o cuidado é pouco. E o conceito de competência esclarece bem este argumento.

Competência é bastante conhecida como CHA em que o C é de conhecimento, o H de habilidade e o A de atitude, mas ao mesmo tempo. Porque o conhecimento por si só não garante que tenha habilidade para executar a tarefa, e somente conhecimento e habilidade não garantem que tenha atitude para fazer acontecer. As pessoas que trabalham na marcenaria estão alinhadas, quando elas possuem clareza sobre o conhecimento que precisam ter, a habilidade que precisam possuir e a atitude que é esperada delas.

DEFINIÇÃO DE CARGOS

Para iniciar um plano de desenvolvimento sem custo, estruturado no conceito de competência, o importante é que para cada posição da sua marcenaria, você crie primeiro um documento simples, sem pensar no ocupante atual do cargo, que tenha:

  1. O nome do cargo;
  2. O conhecimento que o cargo precisa;
  3. As habilidades necessárias para exercer o cargo;
  4. A atitude esperada para que se ocupe este cargo.

Após, crie um segundo documento paralelo que se refere ao ocupante do cargo na sua marcenaria, na qual você fará:

  1. Uma avaliação sobre o conhecimento do ocupante em relação ao conhecimento projetado para o cargo;
  2. A habilidade do ocupante em relação a habilidade projetada para o cargo;
  3. A atitude do ocupante em relação a atitude exigida para ocupar o cargo.

REUNIÃO DE ALINHAMENTO

Para alinhar as expectativas na sua marcenaria, faça uma reunião particular com cada funcionário para:

  1. Explicar as exigências projetadas do cargo ocupado;
  2. Esclarecer as lacunas encontradas entre a definição do cargo e o ocupante;
  3. Negociar como cada funcionário pode atingir as exigências projetadas para o cargo que já ocupa;
  4. Definir um  tempo para que seja alcançado o ajuste ou aprimoramento.

Depois crie reuniões rápidas de feedbacks individuais e coletivas, visando engajar as pessoas com o alinhamento. Construa caminhos acessíveis para que as pessoas possam se desenvolver no tempo acordado, fazendo-as sentirem-se responsáveis, inseridas e respeitadas.

Demonstre sua confiança na importância delas para o resultado do negócio, pois você depende delas e elas dependem de você, numa relação de interdependência sadia e natural. O que você fizer para o desenvolvimento delas elas poderão fazer para melhorar o resultado do negócio.

Mas como saber se você tem a pessoa certa no lugar certo? Isso fica claro quando a discrepância do que é exigido pelo cargo não exige um desenvolvimento radical e sim um aprimoramento do ocupante do cargo, sendo assim possível delegar o que for adequado, evitando a incômoda centralização que tira o seu merecido sono.

No próximo post, analisaremos sobre como você pode abordar o ocupante do cargo para que ajuste ou aprimore suas competências, considerando aspectos já conhecidos do temperamento do funcionário em desenvolvimento.

Ebook: A sua marcenaria tem futuro