“A característica que mais distingue o darwinismo de todas as outras teorias é que a evolução é vista como uma função da mudança da população e não da mudança do indivíduo”.

O mundo está mudando. Hoje, a vantagem competitiva está baseada no conhecimento do indivíduo e não sob um objeto físico. Considerando esta realidade e a teoria de Darwin (o pai da teoria da evolução –  que afirmou que os seres vivos evoluem herdando pequenas modificações perpetuando por seleção natural) nos resta entender que ficaremos mais feios no futuro: com pernas mais finas, cabeças maiores e mais dedos. É um exagero! Uma brincadeira para chamar a atenção para o que faz a diferença hoje é o nosso pensamento, o nosso conhecimento

Em termos competitivos para as empresas: é a criação de conhecimento, a capacidade das empresas de criar e armazenar conhecimento sobre o mercado e gerar inovações. Em outro artigo já comentamos sobre como este processo de lançamento de inovações, de novas tecnologias, está possibilitando a entrada de novas empresas no mercado (Leia mais aqui). O poder do capital está dando lugar ao poder do pensamento. Pequenas empresas ágeis e enxutas, conseguem lançar produtos e desenvolver novos serviços que desbancam empresas com anos de mercado. fabrica de móveis

Evoluímos mais rapidamente em termos de conhecimento, aprendizado e formas de agir.

Somos obrigados a processar mais informações ao mesmo tempo, informações em diferentes formatos. O nosso principal equipamento, o cérebro, é mais exigido hoje do que antigamente.

Mais conectados à internet, acessamos qualquer tipo de informação com a ponta dos dedos. Economizamos em deslocamento, para buscar conhecimento, tudo está a disposição, recebemos informação relevante por e-mail, mesmo sem ter pedido.

O pensamento estratégico, porém, precisa ser visto com método. Está longe da intuição. Intuição é uma arte. Pensamento estratégico é uma ciência. Ciência é que o que sustenta um pensamento lógico, uma disciplina de modelagem de teoria para avaliação comportamental, algo que sabemos hoje de ciência pode ser evoluído amanhã. Não existem verdades absolutas ou teorias absolutas. A ciência também evolui.

Em 1930, com o surgimento do planejamento estratégico, era sugerido a revisão da estratégia de 5 em 5 anos. Isso hoje é impossível. Revisando alguns autores e a história do planejamento estratégico, temos Gary Hamel que fala que uma empresa não consegue ser boa em tudo e Peter Drucker que enfatiza que o cliente deve ser colocado em primeiro lugar, no centro do organograma da empresa.

Considerando estes pontos de vista, pode-se considerar que: focar no cliente e delimitar os horizontes serve para instituir o pensamento estratégico na empresa. Para poder ter tempo para os clientes, para focar no que realmente é importante para o negócio, uma saída é buscar parcerias com fornecedores especializados.

Estabelecer horizontes ou os limites que a empresa deverá atuar, significa escolher a área de especialização da marcenaria. Por exemplo, a marcenaria pode terceirizar pintura, confecção de portas e design de produto.

A busca por parceiros, fornecedores de solução, é uma das principais funções do novo administrador da marcenaria.

Contudo, não adianta o empreendedor e sua equipe ficarem debruçados sobre teorias. Só com um pensamento estratégico baseado em colaboração e interação, com discussão de soluções, é possível desenvolver um plano de execução.

O resultado de um método desenvolvido a partir de um pensamento estratégico, está diretamente relacionado a seriedade, disciplina e controle dos planos desenvolvidos.

Na empresa diversos pontos devem ser considerados:

  • Como a estrutura da empresa será definida para atender a estratégia;
  • Como será a administração da rotina da empresa para atender a estratégia;
  • Quais as funções, atribuições e responsabilidades de cada um dos colaboradores internos;
  • Quais funções, atribuições e responsabilidades podem ser executadas por empresas parceiras?
  • Qual o tamanho dos passos que poderão ser dados durante o caminho. Planos maiores que a capacidade podem gerar frustrações;
  • Qual o incentivo dado as pessoas envolvidas na evolução do negócio;
  • Como poderão ser realizadas modificações no plano, frente a novas descobertas e mudanças com inovações?

Abandonar estratégias equivocadas faz parte do crescimento. Traçar novos rumos, aproveitando boas oportunidades  trata-se justamente do processo de acumular conhecimento. Este aprendizado leva tempo, porém proporciona a oportunidade de formar líderes, criando resultados mais sustentáveis e lucrativos. fabrica de moveis

Tenha certeza que a sua marcenaria é capaz de realizar tudo isso. Conte com a Gabster para ajudá-lo nesses seus desafios!

Acesse o próximo conteúdo sobre estratégia:  4 ferramentas para pensar estrategicamente na sua marcenaria. 

Fale com um de nossos consultores