Escolha uma Página

Muitos empresários se questionam em como manter os seus negócios em tempos de crise. E este questionamento faz com que a crise se torne um motivador muito poderoso para o crescimento. Os desafios impostos em tempos de crise fazem com que empresários tomem decisões que não tomariam em outras circunstâncias. É um momento de aguçar o foco e buscar mais competitividade.

Existe um trabalho a fazer: se tornar mais competente do que os demais competidores. E fazer a empresa se tornar mais competente é aliviar o orçamento de tudo aquilo que representa desperdício, acabar com as atividades e custos que pouco ou nada agregam valor ao produto entregue, e ao mesmo tempo investir no melhoramento das práticas que estão diretamente relacionadas a conquista de mercado.

Neste contexto, o primeiro passo é entender corretamente o que significa e como obter mais produtividade. Simplificando, produtividade é fazer mais com menos. É conseguir entregar mais produto com os recursos existentes de mão de obra, de espaço físico e de materiais.

Existe uma grande diferença entre aumento de produção e aumento da produtividade. O aumento da produção pode ser alcançado com o aumento da estrutura produtiva da empresa, ou seja, com o aumento do número de funcionários, com a utilização de horas-extras, a utilização de vários turnos de trabalho, aquisição de novas máquinas, etc., mas isso não representa, necessariamente, aumento da produtividade.

As empresas devem buscar aumentar, ao máximo, a sua “Produtividade”, antes mesmo de investirem no aumento das suas estruturas produtivas. Concluiu-se, então, que o aumento da produtividade repercute, diretamente, no aumento da lucratividade de uma empresa, pois reduz os seus custos fixos.

Estudando  como aumentar a produtividade na empresa podemos diagnosticar, fazer comparações, melhorar processos e projetar tendências. Analisando as atividades executas na empresa, podem ser diagnosticadas oportunidades de melhoria onde existe retrabalho, onde existe desperdício de material ou tempo de máquina parada.

Na indústria moveleira, principalmente em pequenos e médios fabricantes de móveis sob medida existem diversas oportunidades de melhoria de processos que podem melhorar consideravelmente a produtividade na empresa. Seguem os principais pontos onde encontramos oportunidades de melhoria:

Criação do projeto sob medida: Verifique se o projetista está utilizando todas as regras do sistema construtivo da fábrica. Utilizar corretamente o sistema construtivo do fabricante evita o retrabalho e envio do projeto com dúvidas para o chão de fábrica. Esta questão, quando mal resolvida, acaba acarretando retrabalho, fazendo com que alterações do projeto sejam feitas na fábrica ou ainda diversos retornos do projeto da fábrica para a área de vendas. O conceito importante é que problemas de projeto devem ser resolvidos no momento da venda e de forma alguma, quando o projeto já está na fábrica. Leia mais em:  4 passos para vender mais.

Orçamento dos projetos: Além de ter os preços de custo da matéria prima e produção sempre atualizados, o cálculo deve ser feito sempre com agilidade, independente das pessoas e de forma controlada. Quer dizer que o processo de orçamentação deve seguir regras de cálculo, ser preciso e sem a dependência do proprietário da empresa. Criar uma centralização deste trabalho acarreta em gargalo nas vendas, dificulta fechamentos e ainda muito retrabalho de orçamento quando houver mudanças do projeto.

Ordem de produção: A ordem de produção de um projeto deve ser composta por instruções objetivas. Considerando que o projeto deve ter vindo pronto da área de venda, a ordem de produção deve ser composta por informações técnicas sobre as peças a serem produzidas e não informações de projetos ou desenhos 3D. A interpretação de projetos e consequente tomada de decisão no chão de fábrica acaba com qualquer processo de otimização da fabricação. Leia mais em 8 dicas para agilizar a produção.

Corte de chapas (uso de materiais): A otimização do uso de chapas é um dos principais recursos para redução de perdas na fábrica. Considerando que em média o custo de um projeto é representado por 60% a 80% do valor em chapa, qualquer redução da quebra destes materiais já representa um grande ganho em economia. Uma grande oportunidade de melhoria é realizar o corte das chapas por lote de projetos. Unindo-se as chapas com mesmo acabamento e mesma espessura de diversos projetos, pode-se chegar a 20% de redução de consumo de chapas. Considerando-se o uso de chapas com acabamento especial o ganho chega a mais de 30%.

Roteiros: Ao trabalhar com uma rotina de produção por peças e não por projetos torna-se possível o princípio de serialização do chão de fábrica. Isso quer dizer que cada peça poderá ter um roteiro específico de produção possibilitando o melhor uso dos recursos das máquinas. Assim, peças que compõem um tampo ou painel, por exemplo, após o corte, podem ser tratadas de forma especial, sem que isso acarrete a parada das demais peças do projeto no mesmo setor.

Montagem: Quando utilizado o método de produção com controle por peças e não por projeto, a pré-montagem acaba sendo desnecessária. Isto reduz o tempo de entrega dos projetos e pelo menos de um dia de trabalho de uma equipe de montadores. Outro ganho considerável é o espaço no ambiente físico que acaba sendo utilizado para uma melhor logística interna das peças e a sua expedição.

Leia mais em:  Ajuste dos processos de fabricação.

O aumento da produtividade está sempre ligada, ao longo do tempo, ao progresso tecnológico envolvido. Tecnologia é um termo que envolve conhecimento técnico e científico e a aplicação deste conhecimento através de ferramentas (máquinas, computadores, softwares..), processos e materiais. Desta forma, com o bom uso do conhecimento técnico é possível a utilização de ferramentas e máquinas para resolver problemas.

Contudo, sabe-se que momentos de bonança ofuscam o foco e executar melhorias pode parecer desnecessário. Crise acarreta transformação. Transformação é resultado de trabalho. E o trabalho começa por uma análise crítica da empresa e busca das evidentes oportunidades de melhoria. A agilidade em se atender um cliente, verificar pontos de produção, definir o melhor roteiro de produção, ter controle de custos, das finanças, elaborar projetos de produtos, ter um exato tempo de recebimento de matérias-primas e capacidade de produção bem definida, são fatores que podem ser decisivos na competitividade das empresas. A questão da produtividade está em evidência, e hoje pode ser fundamental para a sobrevivência das empresas, pois quanto mais produtivas, menores serão os custos fixos e maiores serão as margens de lucro.

Veja mais dicas sobre como fazer a sua fábrica de móveis crescer mais rapidamente