Todos recebemos igualmente 24 horas em um dia. Como utilizamos estas horas é o que determina a nossa qualidade de vida.

No passado, a população gastava mais da metade do seu dia cultivando, limpando e cozinhando alimentos. Outra parte do dia era utilizada para cuidar da fonte de energia e para ter água potável. Pouco tempo sobrava para outras atividades.

No presente, muitas pessoas acham que tem pouco tempo. A maioria das pessoas reclama que existem muitas atividades a serem feitas, que o tempo é curto. Na verdade, com o passar do tempo os tipos de atividades mudaram. O trabalho de hoje é bem diferente do que de algumas décadas atrás. Ganhamos mais qualidade de vida com certeza. As atividades são outras, talvez em maior quantidade, mas com certeza mais confortáveis de serem executadas. Mas isso depende da forma como vemos o que estamos fazendo.

Muito se evoluiu. É possível chegar mais rapidamente onde se quer. Reclamamos do trânsito, mas temos mais veículos a disposição. Se não temos um veículo a disposição, podemos alugar ou chamar um pelo aplicativo. Reclamamos que o celular nos força a trabalhar em novos horários, mas temos uma comunicação muito acessível. Reclamamos que os filhos não saem das redes sociais, mas temos mais acesso a informação. Reclamamos da exigência por constante atualização, precisamos estudar mais, ler mais, estar mais informado. Contudo não precisamos mais sair de casa para estudar e temos a chance de entender melhor como tudo funciona a partir do celular.

Ainda existem bilhões de pessoas famintas no mundo, mas bilhões já saíram da linha da pobreza. Segundo o Banco Mundial, o número de pessoas que vivem com menos de U$S 1 diário caiu para menos da metade desde 1950 e hoje não chega a 16% da população.

As coisas estão melhorando a cada dia que passa, o problema é que não vemos desta forma. A mídia apresenta 90% de notícias ruins – por estratégia. Por questão de sobrevivência, questões catastróficas sempre chamam mais a nossa atenção. Precisamos entender se algo pode nos ameaçar e por isso focamos nos problemas. A questão é que ficamos muito tensos com as situações problemáticas do dia a dia, colocamos muito foco nas calamidades e a tendência, nos parece, é que as coisas só vão piorar.

Hoje temos mais problemas sendo resolvidos a cada dia. Temos cada vez mais informações sendo produzidas por dia. Temos acesso à alimentação mais saudável, mais opções de entretenimento. Sabemos que com melhores hábitos podemos elevar a nossa expectativa de vida em pelo menos 20%.

Todas estas evoluções são fruto dos humanos. São os humanos que desenvolvem novas tecnologias, novos materiais, novas formas de fazer as coisas – novos processos, novos computadores, novos softwares. Novas formas de trabalhar que dão certo, são copiadas rapidamente. Isso gera evolução.

Mas o que tudo isso tem a ver com orçamento de móveis?

No vídeo abaixo vamos apresentar a forma completa para o cálculo de um orçamento de móveis sob medida. Muitos empresários ainda não utilizam por achar complexo demais. Talvez por achar que a sua forma atual – material x3, ser mais fácil e rápida. Contudo, a complexidade aparente se resume em um simples aperto de botão. É o sistema que calcula automaticamente o orçamento. Basta realizar o cadastro correto do markup, uma única vez.

Nesta relação direta, ficar aberto a novas formas para calcular um orçamento por exemplo, utilizando uma tecnologia que faz o cálculo mais complicado, pode liberar horas do dia para outras atividades.

Veja outras formas de cálculo, teste as novas tecnologias que disponibilizamos e veja como ganhar tempo.

A aplicação de tecnologia no seu negócio é o que o levará a outro patamar de qualidade. Deixe que a tecnologia resolva a parte complexa.

Aperte o play e aplique novas formas de trabalho que estão a sua disposição

A Gabster no Scale-up Endeavor DURATEX

Com o objetivo de acelerar soluções que buscam transformar o setor de construção e decoração no Brasil, a Duratex e a Endeavor selecionaram a Gabster e mais seis empresas para o programa de Scale-Up: Garagem Duratex. Empresa com mais de 67 anos de história e...